Pular para o conteúdo principal

_darwinismo [poema?]

se acabar o meu vinho
terei o ópio

se acabar o meu ópio
terei a mulher

não, não posso afirmar:
- isso é baudalaire!

mas a autoria, ah,
isso eu sei quem quer...


***

ML

Comentários

perfeito...muito bonito!

Postagens mais visitadas deste blog

_meu filho é maconheiro (conto)

- Mariuza, estou absurdada!
-Ah, Paulinha, eu tenho certeza, ele fuma maconha. Desgraçado, eu sei que ele anda fumando por aí!
- Mari, chega. O que é isso? Você com tanta desconfiança de seu próprio filho? E olha: se eu conheço bem ele, menino tão bom, tão gentil e educado, trabalhador, nunca te deu dor de cabeça… ele nunca ia fazer uma coisa dessas. Eu tô com a Paula: é um absurdo você pensar isso do Juninho. E vê se pára de chorar e se acalma.
- Claudinha? Você também? Eu não acredito. Criei o menino com tanto amor, com tanta dedicação, dei minha vida para ele, e o que ele faz? Vai fumar maconha, o vagabundo!
- Eu é que não acredito! Você fala como se o menino fosse um bandido, um marginal. Como pode você falar uma coisa dessas. É só olhar pra cara dele… nunca fumou nem vai fumar isso. Pára com essa desconfiança besta, Mari, teu filho é um ótimo rapaz, saudável, inteligente, tem a namoradinha dele, foi tão bem criado. Eu acho que você está preocupada à tôa.
- Vocês, tias, não sabem,…

_possibilidades [poema]

"Ele faria da queda um paço de dança, do medo uma escada, do sono uma ponte, da procura um encontro" (Fernando Sabino, in O encontro Marcado)



pode ser que eu sinta
pode ser de pronto
talvez seja uma procura
talvez um encontro
pode ser que eu viva
pode ser o fim
talvez não seja a sorte
talvez seja, para mim
pode ser que eu acorde
pode ser que eu esqueça
talvez seja apenas o frio
talvez, alguém que me aqueça
pode ser uma dança
pode ser
talvez eu dance
talvez, dance
pode ser que eu finja
pode ser que eu respeite
talvez eu veja
talvez eu seja
pode ser apenas medo
pode ser desejo
talvez seja respeito
talvez seja momento
pode ser ilusão
pode ser bonito
talvez seja no chão
talvez seja um mito
pode ser real
pode ser ruim
talvez seja estampa
talvez seja carmim
pode ser uma flor
pode ser cerveja
talvez seja calor
talvez seja cereja***novembro de 2005

_sustância [poema?]

relógios relógicos
Substância do tempo
instância do instante
prismas numéricos

ponteiros pesados
apontam, persistem
perfuram a massa
insustentável
da vida passando
entrando
saindo
andando

sombra solitária
navegando terra adentro
procurando um refúgio

lunar


dígitos despidos
repetem
repetem
repetem
concordam contínuos

relógios, relógicos
parados
não mudam o tempo
a nos comer


***